Evite ser esses tipos de jogadores

Você se identifica ou conhece algum desses exemplos? Siga as dicas do post de hoje para evitar ser esses tipos de Jogadores de RPG de Mesa!

Imagem: Crônicas da Meia Noite


Aqui na Torre do Dragão, ao longo de muitos eventos e mesas de RPG, já nos deparamos com vários tipos de jogadores. Por conta disso, sejam iniciantes ou experientes, é possível perceber padrões de comportamento - e alguns, infelizmente, devem ser evitados!

Hoje, quero trazer para vocês 3 “tipos” de jogadores que acabam não respeitando a imersão coletiva. Claro que não é demérito algum se identificar com algum dos tipos de jogador abaixo; o objetivo é apenas procurar melhorar cada vez mais!


Além disso, vale a pena conferir o texto da Mestre Julyanna, no qual são retratados 3 tipos de mestres que você não deve ser. Assim, você pode completar a coleção de mestres e jogadores que devemos evitar.


JOGADOR ENGESSADO


Carinhosamente apelidado como Jogador Engessado, essa é aquela pessoa que sempre faz as mesmas coisas. Mais comumente encontrado em combates, mas também presente em interações sociais e investigações.


Um exemplo é aquele personagem focado em combate que utiliza sempre o mesmo combo de ações, não colabora em discussões estratégicas e acaba jogando de modo automático.


Em interações sociais, também age sempre da mesma forma. Às vezes segue um padrão de desconfiança, ou tenta se impor para todos os NPCs. Também pode abster-se de qualquer tomada de decisão, tornando-se um espectador na cena.


Não importa o quanto o resto do grupo estimule, a decisão parece ser padrão. Automática e sem criatividade, rodada após rodada.


Se você sente que pode ser esse tipo de jogador, pense em uma coisa: seu personagem é com uma cebola, cheio de camadas! Como em qualquer outra pessoa (até mesmo você), essas camadas englobam não só suas habilidades, mas sua personalidade, trejeitos e filosofias. Tente imaginar-se naquela cena que está sendo descrita, de maneira macroscópica. Imagine o cômodo, os móveis, as pessoas que te acompanham, a fim de ambientar-se. Depois imagine o seu personagem de maneira microscópica, na camada mais interna da cebola e tente internalizar seus ideais e propósitos.


Abrace essa complexidade, trazendo isso em todas suas ações! Lembre-se: não existe certo ou errado numa mesa de RPG. Não tenha medo de ser aquilo que você acredita que seu personagem é, mas, claro, sempre com respeito à você, aos outros e à história.


Indico este texto no qual abordo dicas para ajudar a imersão individual e coletiva. Talvez isso possa ajudar você e a sua mesa.


JOGADOR PROTAGONISTA


Esse jogador é aquele que quer resolver tudo sempre sozinho. Ele não necessariamente sai e age por conta própria, mas durante uma batalha, por exemplo, escolhe agir sozinho confrontando diretamente o vilão da cena. O Jogador Protagonista pode causar um pouco de dor de cabeça para os participantes da mesa, pois, mesmo que sem ter a intenção, suas escolhas tiram a possibilidade do protagonismo de outros personagens, diminuindo a imersão coletiva.


Imagine a cena: você e todos seus colegas estão numa batalha contra o boss e seus aliados. Enquanto você e seus colegas estão “ocupados” seguindo o plano e batalhando com os minions, seu amigo protagonista decide que vai atacar o monstro, sozinho e sem ajudar alguém que pode estar quase morrendo. Isso é meio chato, né?


Então, se você sente que pode ser um jogador protagonista, reflita: o RPG é um jogo colaborativo e deve haver espaço para todos ocuparem os holofotes. Não vale sempre agir sozinho e deixar seus companheiros para trás pelo mero protagonismo. Se, por exemplo, foi estabelecido um plano estratégico de maneira coletiva, a execução também deve ter a participação de todos.


Imagem: Artstation


JOGADOR CELULAR


Esse jogador interpreta e batalha, mas apenas no seu turno. Fora dele, suas redes sociais parecem ser mais importantes. Essa atitude influencia muito (muito mesmo) na imersão da mesa. O maior respeito que pode ser demonstrado ao resto do grupo é a imersão dos jogadores. Mergulhar de cabeça dentro daquele universo e tentar construir juntos a aventura proposta são exemplos de respeito.


Além disso, o tempo que os jogadores despendem para estar ali, jogando e se divertindo, também é algo que deve ser levado em conta. Quando isso não é respeitado, há um problema, pois mesmo se o fizer de maneira inconsciente, o sentimento que resta para os jogadores (e principalmente para o(a) mestre) é de falta de consideração com a preparação de todos.


Veja bem, se você olha seu celular de vez em quando, não há nenhum problema, principalmente quando você comunica que espera uma mensagem ou ligação. Nesse caso, todos devem respeitar a sua postura. O problema do Jogador Celular é não entender a falta de respeito por conta da constante falta de atenção.


Se você se identifica ou conhece alguém com essas características de jogador, entenda: há um compromisso quando você decide jogar aquela mesa de RPG e ele precisa ser honrado. Então, evite o celular.


Novamente, no texto de imersão cito esse exemplo e lá há dicas de como evitá-lo.


Também é preciso haver diálogo entre os participantes da mesa. Portanto, se você conhece não só o Jogador Celular, mas qualquer outro citado ou não neste texto, converse entre as pessoas envolvidas. A partir dessa atitude, o problema tem maiores chances de ser resolvido. E se você se identificou com algum tipo de jogador citado acima, acate as dicas e converse com a sua mesa. Tente entender porque você se sentiu assim e se suas atitudes comprometem a jogabilidade e imersão de todos.


Você acha que faltou algum tipo de jogador que devemos evitar ser? Deixe nos comentários aqui abaixo! Vejo vocês no próximo post do Blog da Torre do Dragão!


Feliz 2021 para todos :)

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo